<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4197132226586187837\x26blogName\x3dvad\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://voandoaderiva.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://voandoaderiva.blogspot.com/\x26vt\x3d-8192848790466781601', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
+












terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

.16

acho que tiveram pouco tempo, talvez o tenham desperdiçado por não saberem que terminaria logo. soube-lhes a pouco, disso tenho a certeza, bem lhes vi as rugas de hesitação e o morder de lábios nervoso. ela chorava e afastava-se, ele, de mãos nos bolsos, não pensava se não em escrever-lhe; na cabeça dela, as desculpas eram versos e cartas de amor, palavras que ela não saberia recusar. seriam letras em beijos, palavras em abraços e cada parágrafo uma história de amor que se esqueceram de viver. "isso!", sorria orgulhoso, "hei-de escrever-nos em palavras tão bonitas que ela será incapaz de continuar a fugir".


escrito por by joão martinho Email post



Remember Me (?)



All personal information that you provide here will be governed by the Privacy Policy of Blogger.


« Home | "accept me as i am. only then can we discover each... » //-->





Vinicius escreveu:

"De repente, não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente.

Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente".

E Vinicius tem razão. Porque há ocasiões em que nem tempo fica para uma despedida.

*

Posted by Anonymous Anônimo #  

~Oo°~

Adoro este texto.

Posted by Blogger Fernando Castro Martins #  

~Oo°~

eu também.

Posted by Blogger Cláudia Faro Santos #  

~Oo°~

Post a comment :