<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4197132226586187837\x26blogName\x3dvad\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://voandoaderiva.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://voandoaderiva.blogspot.com/\x26vt\x3d-8192848790466781601', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
+












sábado, 2 de janeiro de 2010

abrazos rotos

não sou grande apreciador dos filmes do pedro almodóvar, pelo menos na óptica de um fã dos filmes do pedro almodóvar. enquanto estes preferem os primeiros filmes, eu prefiro os últimos. e, ainda assim, gosto só mais ou menos. e explico-me:

os filmes do pedro almodóvar são, à partida, garantia de uma fotografia belíssima e, ainda mais importante, de algumas das mais belas imagens alguma vez filmadas. e porque imagens bonitas não chegam para fazer um filme, almodóvar sabe encontrar também as ideias que as devem acompanhar.

e só isto já bastava para que qualquer filme dele merecesse ser visto, mas se recordamos ainda a companhia habitual de alberto iglesias na banda sonora e penélope cruz como protagonista, então, perdemos todas as desculpas para não ver um almodóvar. e eu, que gosto tanto de dizer que não aprecio almodóvar, calo-me, vejo e não consigo deixar de ver.

mas se há pormenores que deliciam. neste caso, por exemplo, o abraço do casal na fotografia da praia, a viagem em itália do rosselini na televisão coordenadas com as lágrimas da personagem da penélope cruz, o oito e meio de fellini na estante da personagem de lluís homar ou a lição de cinema sobre montagem e escolha de takes; a verdade é que os filmes de almodóvar vão tropeçando em diálogos e cenas embaraçosas que quebram a dinâmica e não o permitem fugir à mediania. e é uma pena, porque ideias assim não merecem tantas cenas insossas.


escrito por by joão martinho Email post



Remember Me (?)



All personal information that you provide here will be governed by the Privacy Policy of Blogger.


« Home | o melhor do ano » //-->





Hmmm...anda por aí alguém a matar os filmes de Almodóvar ou fui eu que percebi mal?
Tens razão! «Abraços Desfeitos» tem um argumento que roça o forçado e em alguns momentos chega a ficar pastelão. Está longe de ser o meu favorito. Acrescentando ao facto de que este não foi um filme sobre mulheres. Mas eu não me queixo muito.Continuo a consumir Almodóvar.

Posted by Blogger Sonhadora #  

~Oo°~

Post a comment :