<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4197132226586187837\x26blogName\x3dvad\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://voandoaderiva.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://voandoaderiva.blogspot.com/\x26vt\x3d-8192848790466781601', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
+












terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

posts do antigamente #50

.83
o meu alter-ego é um tipo que adormece à espera das seis e sessenta e seis da manha; é um tipo ingénuo que se deixa sempre enganar pelo sono e desperta já depois das sete. e a máquina fotográfica, com muitas fotografias acidentais, não encontra nunca - mesmo em desfocado ou descentrado - os números da moda em vermelho sobre preto. é, acima de tudo, um tipo verdadeiro e puro, e é por isso que se recusa a procurar manualmente os números no despertador.

ouve, uma vez até se lembrou de programar o despertador para pouco antes da hora, mas viu que o mais perto que conseguia era um minuto antes das seis. acreditou que era um sinal - um para as seis e ficava a seis das seis e sessenta e seis - e por isso desistiu da ideia.

nunca ninguém o conheceu e ainda bem; ainda o confundiam comigo e começavam a dizer que eu sou paranóico e obstinado com coisas parvas - quer dizer, isso ainda vá que não vá, porque a verdade é para se dizer. mas bem, a verdade é outra: pessoas tem sempre alter-egos fantásticos e incríveis e o meu é ainda mais estranho que eu. e eu, que sempre tive medo que dissessem que eu sou um gajo estranho, acabei por matá-lo sem ninguém saber. não foi difícil, porque ninguém sabia que ele existia. ainda assim, é melhor não darmos muito nas vistas e falar dele como se ele ainda adormecesse à espera das seis e sessenta e seis, ok?


escrito por by joão martinho Email post



Remember Me (?)



All personal information that you provide here will be governed by the Privacy Policy of Blogger.


« Home | preto sobre branco » //-->





Post a comment :