<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4197132226586187837\x26blogName\x3dvad\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://voandoaderiva.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://voandoaderiva.blogspot.com/\x26vt\x3d-8192848790466781601', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
+












domingo, 11 de janeiro de 2009

posts do antigamente #4

queres-me num outono que dure sempre?
au revoir de um filme francês e uma gabardina com bolsos onde cabem as minhas mãos e as tuas. ao sair de casa levantaria as golas, para que o cheiro do teu cabelo no meu ombro me beijasse o pescoço, enquanto o vento tentava roubar-me o chapéu só para que tivesse frio de me teres cortado o cabelo. braga podia ser castanha ou vermelha e cinzenta e verde do musgo nos muros da igreja junto à nossa casa. podíamos ir ao alentejo de vez em quando, mas bem sabes que o outono faz mais sentido a pintar braga do que pintado de alentejo. podia ser o outono que tu quisesses, desde que eu também soubesse desenhar quando te descobrisse distraída. e se eu soubesse desenhar, queria tanto um outono cliché de pisar folhas secas no fumo branco das castanhas assadas como um outono da cor dos teus lábios e do tamanho dos teus olhos, onde ficaria para sempre, se me dissesses que o nosso outono não acabaria nunca.


escrito por by joão martinho Email post



Remember Me (?)



All personal information that you provide here will be governed by the Privacy Policy of Blogger.


« Home | 2. » //-->





Como sempre encantador. Já te havia dito, mas digo de novo, escreves de uma forma tão simples, como quem não pensa que esta a escrever... podias estar somente a pensar. Presenteias-nos como pérolas como "queria tanto um outono cliché de pisar folhas secas no fumo branco das castanhas assadas como um outono da cor dos teus lábios e do tamanho dos teus olhos" ... Lindo como sempre compadre! Dá sempre vontade de ler mais e de saber mais desses teus personagens.

Um abraço, comadre

Posted by Blogger Humildevaidade #  

~Oo°~

vou ter de "desrasurar" o vad da minha lista de ligações.

estamos em 11º na liga vizinha ;-)

Posted by Blogger FDV #  

~Oo°~

Post a comment :