<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4197132226586187837\x26blogName\x3dvad\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://voandoaderiva.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://voandoaderiva.blogspot.com/\x26vt\x3d-8192848790466781601', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
+












domingo, 18 de janeiro de 2009

posts do antigamente #12

.51
sabes quando nos sentámos na relva, naquelas manhãs de primavera, em que o sol nos dá a falsa impressão de estar calor, enquanto as palmas das nossas mãos e as pontas dos dedos começam a congelar? sim, falo daqueles dias em que as cores são as mais perfeitas de todas. o verde da relva e azul do céu; e o reflexo dos dois nos teus olhos, também.

anda comigo, sobe as persianas e corre as cortinas. abre a janela branca de par em par e olha para nós, lá fora. sim, é assim que quero estar contigo e é assim que te quero ver para sempre; é esta a imagem que quero guardar de mim e de ti; é este o quadro que quero pintar de olhos fechados, guiado pelo som da tua voz.

anda comigo, abre o teu coração e sacode a alma. olha-me nos olhos e olha-nos à janela, a olharmo-nos sentados na relva. e diz-me que sim com um ligeiro aceno e sorri ao mesmo tempo que eu. são eles, os nossos sorrisos, que ao formar um só, responderão a essa dúvida que trazes no olhar. e são eles, o sussurro que te diz ao ouvido: 'não somos diferentes o suficiente como não somos iguais a mais; somos apenas o reflexo um do outro'.


escrito por by joão martinho Email post



Remember Me (?)



All personal information that you provide here will be governed by the Privacy Policy of Blogger.


« Home | wilco #2 » //-->





Post a comment :