<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4197132226586187837\x26blogName\x3dvad\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://voandoaderiva.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://voandoaderiva.blogspot.com/\x26vt\x3d-8192848790466781601', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
+












quarta-feira, 17 de março de 2010

o moz e o jeff

ganglord, lado b do single the youngest was the most loved, foi incluído no álbum de lados b que o morrissey lançou no ano passado, swords. é uma das músicas mais inspiradas da colectânea e teve agora direito a videoclip. hoje, enquanto o procurava pelo youtube, encontrei também um excerto de uma entrevista em que o jeff buckley se desfaz em histerismo quando lhe dizem que o mozza é capaz de aparecer por lá. por causa desta entrevista, voltei a ouvir o cover que o jeff fez da the boy with a torn in his side. e, só porque sou muito vosso amigo, deixo-vos a papinha toda feita.

morrissey - ganglord

jeff buckley sobre morrissey e the smiths

jeff buckley - the boy with a thorn on his side (the smiths cover)


escrito por joão martinho | | comentar




segunda-feira, 15 de março de 2010

owen pallett

do facebook, em resposta a um comentário ao que escrevi após o concerto de sexta-feira: joão martinho só vem aqui dizer que o owen pallett deu um concerto do caraças e que quem o viu em 2006 não viu nada; este sim, foi um espectáculo fenomenal. e agora tenho um heartland assinado com um coração de olhos para a lua.


era exagero próprio de um período pós-encantamento. não o vi em famalicão, mas vi-o, num concerto da mesma tour, em valência. gostei muito do concerto, também, mas quem o viu em 2006 e quem o viu agora notou que o owen pallett não é o mesmo.

no auditório pequeno de 2006 ele estava acompanhado por uma rapariga que brincava com acetatos. o concerto foi bonito, mas a grande diferença em relação aos álbuns era o facto de ele estar ali a meia dúzia de metros. de resto, muito pouca ousadia musical.

ontem não - e não sei se foi diferente dos concertos do maria matos, porque o público dizia que ele tinha sido "sóbrio e eficaz" -, ontem ele deu um grande espectáculo e mostrou que, ao contrário dos outros dois álbuns, este é um álbum que soa ainda melhor ao vivo do que em disco. para além disso, a presença do guitarrista/percussionista trouxe muito mais ao concerto do que a rapariga dos acetatos....

eu gosto das cócegas das ondas de ruído e ele ontem trabalhou-as de uma forma exemplar. alternou entre o ruído e a melodia numa sincronia fantástica com o colega de palco; notava-se um grande química entre eles, comentei com algumas pessoas ontem, e, acima de tudo, notava-se que ambos estavam a divertir-se bastante.

por essa razão, o owen não foi o rapaz ensimesmado do concerto de 2006, mas, e apesar de não falar demais, deixou toda a plateia confortável e rendida. no fim, troquei duas palavras com o percussionista e ele disse-me que antes do concerto não sabiam o que haviam de esperar, mas que se tinham divertido muito no concerto. podiam ser palavras de ocasião, mas confirmavam a ideia de quem assistiu.

eu saí de lá de barriga cheia e, no fim, ainda trouxe um cd com um coração desenhado pelo owen. eu, que até estava sem grandes expectativas em relação ao concerto por este ser o meu despreferido dos três álbuns, saí de lá com a certeza de que o heartland é a obra-prima do owen pallett. hoje via outra vez. :)


escrito por joão martinho | | comentar




quarta-feira, 10 de março de 2010

a coragem

a Alexandra Silva enviou-me há pouco este link em que dá o testemunho da luta dela contra o cancro da mama. eu ainda engulo em seco, em vénia à coragem dela, e perco-me neste não saber as palavras certas. por isso, digo-vos só que leiam e ofereçam a ler. fica um beijo para ela, de quem não soube que passara por isto, e um "fogo, não te disse no concerto do jens, mas o cabelo curto fica-te mesmo bem".


escrito por joão martinho | | comentar




segunda-feira, 8 de março de 2010

parabéns, moças!



em cada dia internacional da mulher surgem alguns discursos-tipo entre os que não concordam com a sua existência: há quem diga que é uma pena que a mulher só seja lembrada um dia por ano; outros que acham que este dia já não faz sentido e só acentua a discriminação; os que defendem que o dia internacional não serve para nada.

hoje celebram-se cem anos sobre a primeira vez em que o dia internacional da mulher foi comemorado e, felizmente, ao longo destes cem anos os papéis de género têm-se diluído. dizem-me que tal não aconteceu por causa do dia internacional, mas esquecem-se que o dia internacional é homenagem às mulheres que lutaram para que isto se verificasse.

ao fim ao cabo é apenas mais um dia, mais uma comemoração e, como todas, parece perder o sentido com o tempo. mas a verdade é que as mulheres, na maior parte dos casos, ainda não são tratadas da mesma forma que os homens no acesso ao emprego, não ganham o mesmo para trabalhos iguais e são as principais vítimas da violência doméstica.

talvez nos devêssemos lembrar todos os dias disto e continuar a lutar pela igualdade de género em todos os níveis sociais, mas isso, tenho a certeza, não se faz pela desvalorização do testemunho das mulheres que em finais do século dezanove e início de vinte a iniciaram.

por tudo isso, os meus parabéns às mulheres que não se conformam.


escrito por joão martinho | | comentar




oscar #5

a melhor surpresa pessoal da noite foi a vitória da curta de animação logorama. era a minha favorita entre as candidatas, mas o facto de concorrer contra matter of loaf and death (wallace and gromit) parecia destiná-la ao insucesso. jogava contra ela também o facto de usar mais de três mil logotipos e marcas, especialmente por usar o ronald mcdonald como ladrão, assassino e sequestrador. se ainda não viram, aproveitem para a ver aqui.





escrito por joão martinho | | comentar




domingo, 7 de março de 2010

oscar #4

crazy heart é um dos filmes mais aborrecidos do ano passado. tão fraquinho que não coube sequer entre os nomeados para melhor filme do ano e, nessa lista, até estão filmes mesmo mesmo fracos. ainda assim, há dois óscares que serão justamente entregues: melhor actor principal e melhor música. não compreendo é a nomeação de maggie gyllenghall para o óscar de melhor actriz secundária; mulher mais insossa e irritante de sempre, irra!


escrito por joão martinho | | comentar




oscar #3

de entre os nomeados para melhor filme (desta vez são dez) há cinco que não me importava que ganhassem o óscar. ainda assim, apenas um deles merece mesmo mesmo vencer. inglourious basterds é um filme do caraças e é, entre os cinco, o único filme que é autêntica obra de arte. oops, quentin tarantino did it again: senhores que ficaram deslumbrados com o fogo-de-artifício de avatar e acham que merece o prémio, façam o favor de ver inglourious basterds com olhos de ver e depois venham discutir comigo a justiça do óscar para o avatar. e já agora, raio de injustiça o brad pitt não ter sido nomeado para melhor actor. não merecia ganhar, obviamente, mas a nomeação seria mais que justa.


escrito por joão martinho | | comentar




oscar #2

se os óscares fossem prémios justos, o fantastic mr. fox ganhava o prémio para melhor filme de animação. provavelmente já escrevi isto aqui no vad, mas nunca é demais realçar. o up é muito bonito, sim senhor: uma história bonita, desenhos bonitos, música bonita, mas o fantastic mr. fox é muito mais cinema do que o up. o fantastic mr. fox é uma perfeita obra de arte e é uma pena que as interpretações do george clooney e da meryl streep não estejam nomeadas para melhor actor. bem sei que eles estão nomeados por outros filmes e a meryl até é a minha aposta para ganhar, mas o george esteve muito melhor no fantastic mr. fox do que no up in the air e, se fosse eu a mandar, dava-lhes também os prémios de melhores actores. e vá, melhor filme e realizador para o wes anderson que ele bem merece. pena é que os óscares sejam prémios mais pirotécnicos que cinematográficos e no fim quem limpe seja o avatar.


escrito por joão martinho | | comentar




oscar

é uma tradição recente, mas não deixa de ser tradição: noite de óscares é garantia de uma noite em claro com os meus irmãos para ver uma festa de filmes que nem nos interessam muito; mas é festa e é só uma vez por ano, por isso logo à noite só de dorme depois das cinco. e porque não faltam por aí pessoas a partilhar as apostas pessoais, encho mais algumas linhas da blogosfera com as minhas apostas e os meus favoritos para as principais categorias.

short film, live action
favorito: instead of abracadabra
aposta: instead of abracadabra

short film, animation
favorito: logorama
aposta: a matter of loaf and death

documentary, long
favorito: não vi nenhum dos nomeados
aposta: the cove

original score
favorito: fantastic mr. fox
aposta: up

original song
favorito: crazy heart
aposta: crazy heart

cinematography
favorito: the white ribbon
aposta: avatar

animated feature film
favorito: fantastic mr. fox
aposta: up

foreign movie
favorito: the white ribbon
aposta: the white ribbon

screenplay, adapted
favorito: an education
aposta: up in the air

screenplay, original
favorito: inglourious basterds
aposta: up

supporting actress
favorita: vera farmiga
aposta: mo'nique

supporting actor
favorito: christoph waltz
aposta: christoph waltz

leading actress
favorito: meryl streep
aposta: meryl streep

leading actor
favorito: jeff bridges
aposta: jeff bridges

director
favorito: quentin tarantino
aposta: kathryn bigelow

best picture
cinco favoritos por ordem decrescente: inglourious basterds, a serious man, an education, up, up in the air
aposta: avatar


escrito por joão martinho | | comentar




^